... Edição Digital 388

DOSSIER Comércio de Automóveis Usados
Panorama Standvirtual
Mercado de usados cai 19% em Setembro

Em Setembro verificou-se um decréscimo geral de -19% na procura e de -10% na oferta de veículos usados em relação ao período homólogo de 2021, com uma dinâmica de mercado de cerca de -10%.

O decréscimo na procura foi visível sobretudo nas marcas premium (-20%) e a procura por marcas de luxo cresceu +10%. Os dados são do Standvirtual, portal líder em carros, que acaba de divulgar o Panorama Mensal do Mercado Automóvel, baseado em dados disponíveis na plataforma sobre visualizações, oferta e procura, no qual analisa detalhadamente os principais indicadores de compra e venda do mercado automóvel no mês de Setembro. A mesma fonte revela que os carros eléctricos premium são a única categoria de combustível que revela crescimento da procura e oferta, em relação ao mesmo mês do ano passado (+2% e +11%, respectivamente).

COMBUSTÍVEL
• Os veículos eléctricos premium são os únicos que registam um aumento de procura e oferta em Setembro face ao período homólogo de 2021 (+2% e +11%). No que diz respeito aos eléctricos volume, verifica-se uma ligeira diminuição da procura e oferta em relação ao ano passado (-1% e -5%, respectivamente).
• O diesel revela um decréscimo de -12% da procura face a 2021 e a gasolina desce -5%.
• Os carros eléctricos, híbridos a gasolina e híbridos a diesel já representam quase 10% da procura e cerca de 7% da oferta.
• O diesel (61%) e a gasolina (28%) são mais uma vez as tipologias mais procuradas. No caso do diesel, a oferta de anúncios (65%) é ligeiramente superior ao volume da procura, enquanto na gasolina (27%) a oferta é semelhante à procura.

SEGMENTO E MARCA
• A procura diminui de forma geral, em Setembro, em todos os segmentos face ao período homólogo do ano passado e abaixo dos valores de agosto, com destaque para os sedan (-26%) e as carrinhas (-23%). Em relação à oferta, esta apenas cresce nos SUV (+24%) e nos cabrio (+2%). Os monovolumes mantêm-se como a categoria com a maior quebra de oferta (-28%), seguindo-se os sedans (-27%) e os pequenos citadinos (-26%).
• Carrinhas (19%), SUV (18%), utilitários (16%) e citadinos (15%) são os segmentos mais procurados. Em setembro, a oferta supera novamente a procura nas categorias de carrinhas (22%) e SUV (20%) e utilitários (17%), tal como em agosto e julho.
• A BMW (12,5%), a Mercedes-Benz (11,6%) e a Renault (9,1%) são as marcas mais procuradas, bem como as mais anunciadas (12,7%, 12,7% e 10,1%, respectivamente).
• No que diz respeito aos carros mais procurados em setembro, por intervalo de preços, estes são o Renault Megane Break na categoria até 5000€, o Mercedes-Benz Classe C nas categorias dos 5000€ aos 10 000€ e dos 25 000€ aos 40 000€. O Mercedes-Benz Classe E é também o carro mais procurado na categoria dos 10 000€ aos 25 000€ e acima dos 40 000€. • Nos eléctricos e híbridos, a procura é encabeçada pelo Renault Zoe, o BMW Serie i e o Tesla Model 3.

ANO DE MATRÍCULA
• A procura de carros por ano de matrícula revela um decréscimo em todas as categorias no mês de Setembro, face ao período homólogo do ano passado (entre -8% e -27%). Carros entre 1 e 3 anos continuam a registar a maior diminuição da procura (-27%), tal como em Agosto.
• A oferta também revela evolução negativa em relação ao mesmo mês de 2021, em todos os anos de matrícula, excepto nos carros entre 5 a 10 anos (+13%) e nos veículos entre 3 a 5 anos (+2%). Os automóveis entre 1 a 3 anos são novamente os que registam a maior quebra de oferta no mês de Setembro (-35%), relativamente ao ano anterior.
• Carros com matrícula entre 2016 e 2018 são os mais visualizados em setembro (cerca de 9%), seguidos dos carros matriculados em 2020 (cerca de 7,5%).

PREÇOS
• A categoria dos 10 000€ aos 25 000€ continua a registar o maior número de visualizações em Setembro. Esta é a única na qual os anúncios (52%) superam visivelmente as visualizações (38%).
• A escassez de anúncios face a visualizações, em Setembro, mantém-se visível nos veículos acima de 40 000€ (12% dos anúncios e cerca de 20% de visualizações), bem como na categoria abaixo de 5000€ (3% dos anúncios e cerca de 10% de visualizações).
• A percentagem de anúncios e visualizações é equivalente nas categorias entre 5000€ e 10 000€ (cerca de 14% de visualizações e 11% de anúncios) e entre 25 000€ e 40 000€ (cerca de 18% de visualizações e 20% de anúncios).


Partilhe:                    

 

...

DOSSIER Comércio de Automóveis Usados
Nuno Grosa – CEO da Benecar
Um negócio, uma família Texto: Mónica Silva Fotos: Benecar

Este ano, a Benecar foi distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Nacional na categoria de Stands Multimarca, mas o seu negócio vai além da compra e venda de automóveis. Também estão incluídos outros serviços como a reparação e o aluguer automóvel, mas o que torna a Benecar tão especial é a sua resiliência, espírito de equipa e grande foco na satisfação do cliente.

"A Benecar foi distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Nacional na categoria de Stands Multimarca"

“O segredo passa pelo sentimento de ‘Família Benecar’ que é incutido em todos os que fazem parte desta empresa, que tudo fazem para a satisfação do cliente. Esse sim, o cliente, é o principal factor de sucesso para esta longevidade”, afirma o CEO da empresa, Nuno Grosa, quando questionado pelo segredo de um negócio que se mantém a funcionar desde 1991.
Com sede em Benedita, o Grupo Benecar foi criado com a principal missão de proporcionar ao cliente uma experiência única, inovadora e diferenciada na compra de carro.

Desde o seu início aos dias de hoje, com os avanços da tecnologia, muita coisa mudou e hoje a realidade para o sector automóvel é diferente e isso reflete-se na Benecar que, ao longo dos anos, procurou actualizar-se e adaptar-se aos novos tempos – sempre com uma aposta em equipamentos de última geração, num serviço de qualidade e, num dos bens mais precisoso, os seus recursos humanos.

...

Os desafios da actualidade
Nos dias que correm, o sector automóvel tem posto a sua resiliência à prova, como nunca. Desde os entraves na logística e abastecimento à falta de novos carros e a pandemia, os últimos anos têm definido um novo paradigma para stands e oficinas. No caso da Benecar, Nuno Grosa reconhece esses desafios, mas sublinha que são ultrapassados com muito trabalho de prevenção anteriormente realizado. Uma das grandes soluções, especialmente em contexto de pandemia e confinamento e muito adoptada por inúmeras empresas, é a digitalização. “O digital não só é vantajoso como é muito importante para o nosso negócio. Para isso temos uma estratégia de marketing e comunicação exclusivamente concentrada no digital, captando a atenção de todos aqueles que pretendem comprar um carro, bem como na promoção da marca Benecar – Cidade do Automóvel. Essa digitalização permite-nos optar por uma estratégia a nível nacional e não tanto a nível local, dada a facilidade de chegar a todos”, comenta Nuno Grosa.

Embora seja adepto das novas tecnologias, o CEO da Benecar também valoriza a interacção física com o cliente, algo que defendeu no Portugal Mobi Summit, em 2021. “Neste momento, a experiência virtual começa a ganhar alguma forma, tendo sido acelerada pela pandemia, mas ainda 80% dos nossos clientes continuam a valorizar o contacto presencial”, menciona, assegurando que o negócio feito no local é ainda uma escolha de muitos clientes.

Os veículos eléctricos são outra “novidade” no mercado, surgindo como a oportunidade para torná-lo mais ecológico, mas é ainda um enigma. “Sendo o nosso mercado de usados e seminovos, a variedade e quantidade de veículos eléctricos ainda não é suficiente.

...

"O CEO da Benecar também valoriza a interacção física com o cliente, algo que defendeu no Portugal Mobi Summit, em 2021"

A isto junta-se ainda a incerteza sobre a fiabilidade do carro eléctrico usado e o seu custo de manutenção, que é muito superior ao de um carro não eléctrico e com tendência para crescer, tal é o do preço da energia, que já está a dar sinais de um aumento sem controlo”, afirma. “Embora saibamos que os carros eléctricos serão uma realidade e estando a Benecar a acompanhar a evolução do segmento, acreditamos que este terá de se adaptar melhor à realidade e ao contexto actual”.

De olhos postos no futuro
“Que perspectivas tem para os próximos 30 anos da Benecar?”, perguntámos. Quando se tem uma empresa que é referência no sector, a única resposta possível é esperar que continue a ser inovadora. “A Benecar é uma marca que se diferencia pela sua credibilidade e qualidade, tanto de produtos como dos seus serviços, nos quais sobressaem a nossa garantia total nos veículos e a qualidade da entrega. Outro dos destaques positivos são as nossas instalações de excelência, a Cidade do Automóvel, um local único no país e digno de visita, onde será bem recebido por uma equipa com mais de 220 colaboradores”, explica-nos Nuno Grosa, mostrando que está ciente das mais-valias do negócio que gere e que lhe garantem um destino de muito sucesso.

...

Quanto ao futuro esperado para o sector automóvel, “vai passar por muitas mudanças para as quais teremos de estar preparados. O futuro do sector está interligado ao como vai ser a mobilidade nos próximos anos”, assume.

"A Benecar é uma marca que se diferencia pela sua credibilidade e qualidade, tanto de produtos como dos seus serviços, nos quais sobressaem a nossa garantia total nos veículos e a qualidade da entrega"

O amanhã é sempre incerto, mas por agora sabemos que vamos encontrar Nuno Grosa, a representar a sua Benecar, na 33.ª Convenção da ANECRA.

“São encontros sempre muito positivos, porque permitem-nos esclarecer ou chamar a atenção para onde estamos e discutir o que o futuro nos reserva, ao mesmo tempo que analisamos vários pontos de vista de cada participante”, assim caracteriza.


Partilhe:                    

 

...

DOSSIER Comércio de Automóveis Usados

...


Partilhe:                    

 

...

DOSSIER Comércio de Automóveis Usados
Barómetro Standvirtual/ACAP
10% dos importados são electrificados

Importação de carros continuou a aumentar em Setembro em relação ao mesmo período do ano passado (+44%). No geral, os veículos importados representam cerca de 30% a 40% do mercado de usados no país. Veículos electrifi cados ganham relevo, apesar da maior importação ser de veículos a gasóleo e, em segundo lugar, a gasolina.

Em Setembro verifi cou-se um ligeiro decréscimo de -3,5% na procura de veículos usados, face ao mês de Agosto, com uma quebra de -0,04% da oferta. Pela primeira vez em 2022, Setembro revela uma dinâmica de mercado negativa face ao mês anterior (-3,6%), o que signifi ca uma maior quebra na procura face à oferta. Em relação aos períodos homólogos, a dinâmica de mercado de Setembro recua -7,4% face a 2021 e -4,8% face a 2020.

A transferência de propriedade de ligeiros de passageiros teve um crescimento de +2,3% em agosto, em comparação com o mês homólogo de 2021. Regista ainda um decréscimo de -5,1% face a 2019, mas já inferior ao decréscimo de -21,9% registado em Julho.

No que diz respeito aos veículos importados (ligeiros de passageiros), continua a haver um crescimento em Setembro de +44% em relação ao mesmo mês de 2019 e +41% se comparado com 2021, representando em média entre 30% a 40% do mercado de usados português. Por tipologia de combustível, a importação continua a acontecer sobretudo nos carros a gasóleo e, em menor escala, a gasolina, embora tenha vindo a aumentar a preponderância dos eléctricos (representam cerca de 10% do total). O segmento compacto familiar lidera as importações, mas mantém-se um aumento da importação de utilitários.

O preço médio praticado pelos vendedores profi ssionais, que tem vindo a subir progressivamente, sobretudo desde agosto de 2021, estabiliza em cerca de 23 400€ em setembro. Tal representa um aumento de cerca de +15% face a setembro de 2021, quando o preço médio era cerca de 20 400€.

Nos modelos mais representativos no Standvirtual, com 50 mil quilómetros e a diesel, mantém-se a estabilização dos preços, nomeadamente o Renault Clio (18 400€) e o Nissan Qashqai (24 800€), com ligeiros aumentos no caso do Renault Megane Sport Tourer (21 500€) e do Mercedes-Benz A180 (31 000€).

De acordo com os dados fornecidos pela BCA, os preços sobem no retalho, mas descem ligeiramente no comércio, em Setembro. Na secção de veículos novos do Standvirtual, regista-se uma percentagem de procura de cerca de 35% de veículos eléctricos, seguidos pela gasolina (34,7%). Considerando todos os veículos electrifi cados, estes já representam cerca de 50% da procura de veículos novos na plataforma.

Segundo dados da ACAP, em Setembro verifi ca-se um aumento de +12,8% no total do mercado automóvel, em relação a Setembro de 2021 e uma quebra de -1,3% no acumulado anual face a 2021. Os veículos ele trifi cados e híbridos GPL representaram cerca de 50% do mercado total de ligeiros em Setembro de 2022 (em 2020 representavam 23% no mesmo período).


Partilhe:                    


Retroceder